quarta-feira, 18 de abril de 2012

Falsos profetas


Quais as características dos falsos profetas?

Jesus nos falou sobre as características encontradas em um falso profeta (Mt 7.15-23).

Tentam se parecer com os verdadeiros, mas não são legítimos (v. 15). Jesus nos disse que os lobos (falsos profetas) se apresentam como ovelhas. Esses passam a imagem de serem obreiros enviados por Deus, porém na realidade são obreiros fraudulentos (2 Co 11.13).

São conhecidos pelos frutos que produzem (vv. 16-20). Os pseudoprofetas são identificados por seus frutos. Eles não produzem um bom fruto: o Fruto do Espírito é ausente em suas vidas (Gl 5.22). E onde não se encontra o Fruto do Espírito há abundância de obras da carne. Na falta de amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança (Gl 5.22) é normal que haja adultério, prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas (Gl 5.19-21).

Professam ser servos, mas são desobedientes (v. 21). Os falsos profetas chegam a dizer "Senhor, Senhor", contudo não fazem a vontade de Deus. Certamente podem ouvir do Senhor: "Pois que este povo se aproxima de mim, e com a sua boca, e com os seus lábios me honra, mas o seu coração se afasta para longe de mim" (Is 29.13).

Profetizam, expulsam demônios e realizam milagres, contudo, praticam a iniquidade (v. 22,23). Deus alertou o povo de Israel acerca de falsos profetas (Dt 13.1-3). O Senhor disse que: se um profeta se levantasse e desse ao povo algum sinal ou prodígio — e tal sinal se cumprisse —, mas convocasse o povo para servir outros deuses, tal profeta são deveria ser ouvido. Bem falou Martinho Lutero: "Qualquer ensinamento que não se enquadre nas Escrituras deve ser rejeitado, mesmo que faça chover milagres todos os dias". A Palavra de Deus não é amada pelos falsos profetas, pelo contrário é rejeitada. Jesus declarará explicitamente que não conhece esses que praticam a iniquidade (Mt 7.23).

A Palavra de Deus nos alerta que "muitos falsos profetas têm saído pelo mundo fora" (1 Jo 4.1); portanto, acautelai-vos!

À lei e ao testemunho! Se eles não falarem segundo esta palavra, é porque não há luz neles (Is 8.20).

Marco Antonio da Silva Filho

segunda-feira, 16 de abril de 2012

João 3.16


Por F. F. Bruce

O evangelista não tem a intenção de satisfazer nossa curiosidade quanto à resposta de Nicodemos às palavras de Jesus; os leitores podem tirar suas próprias conclusões das duas outras aparições de Nicodemos neste evangelho (Jo 7.50ss., 19.39ss.). Sua intenção é expor, em termos de aplicação universal, a lição ensinada a Nicodemos.

Se há uma sentença que resume melhor a mensagem do quarto evangelho, aqui está ela. O amor de Deus não tem limites; ele engloba toda a humanidade. Nenhum sacrifício foi grande demais para trazer sua intensidade sem medidas a homens e mulheres: o melhor que Deus tinha para dar, ele deu – seu único Filho, tão amado. Também não foi só para um grupo ou povo que ele foi dado: ele foi dado para que todos, sem exceção ou distinção, os que põem sua fé nele (eis auton aqui, e não en auto, como no versículo anterior), possam ser resgatados da destruição e abençoados com a vida que é verdadeira. O evangelho da salvação e da vida tem sua origem no amor de Deus. A essência da mensagem da salvação é deixada tão clara que não permite mais dúvidas, em uma linguagem que pessoas de todas as raças, culturas e épocas podem compreender, e é exposta nestas palavras de maneira tão eficaz que, provavelmente, muitos acharam a vida mais através delas do que por meio de qualquer outro texto bíblico.

Perecer (apolesthai) é a outra alternativa além de ter a vida eterna ou (como o versículo 17 diz) ser salvo (veja 8.24, onde os que se recusam a crer em Jesus "morrerão em seus pecados").

Fonte: João: Introdução e Comentário, p. 86, 87 | Arminianismo.com

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Sou crente, mas meu amor, não!



Quais as implicações de namorar um não crente?

Em primeiro lugar, o que está te atraindo no incrédulo? Com certeza não é o amor dele por Deus, ou por ser ele um garoto que tem comunhão com Deus ou por ela ser uma garota que lê e pratica o que está escrito na Bíblia.

Então o que poderia ser?
  1. Beleza física?
  2. Prosperidade financeira?
  3. Pode suprir sua carência, livrar da solidão?
Não quero dizer que não se pode observar a beleza de alguém, também não estou dizendo que a pessoa não pode ser rica. Estou procurando mostrar que observar apenas um ou outro ponto apresentado não é suficiente para iniciar um relacionamento amoroso.

Se você respondeu 1: Você ainda não entendeu que a aparência física (sejam belos olhos ou lindos cabelos, etc.) não é capaz de evidenciar uma pessoa que pode ser sua parceira por toda a vida: “A beleza é uma ilusão, e a formosura é passageira; contudo, a mulher que teme a Yahweh, o SENHOR, essa será honrada!” (Pv 31.30, KJA). Temos que aprender com o Senhor, que não vê unicamente o que está diante dos olhos, mas observa o coração (1 Sm 16.7).

E mais, você não está realmente interessado em quem a pessoa é, pelo contrário, seu interesse não passa de sensualidade: você deseja o corpo e não pensa em proteger o coração (do próximo).

Se você respondeu 2: Pense bem: Onde você está juntando seu tesouro (Mt 6.19-21)? Em última análise, você não ama o ser humano com deseja se relacionar, você está amando o dinheiro. E é exatamente isso que você deve fazer se quiser trilhar um caminho com todo tipo de males (1 Tm 6.10).

Se você respondeu 3: Realmente, o Senhor disse que não é bom que o homem esteja só (Gn 2.18), mas se envolver com alguém somente como um modo de fugir da solidão pode levá-lo à viver com alguém que não ama de verdade ou se entregar ao extremo, com medo de perder o parceiro.

Não esqueça que você não está sozinho, o próprio Senhor diz: “Nunca jamais te abandonarei” (Hb 13.5). E na presença de Jesus, a alegria é completa (Sl 16.11). Portanto não tenha medo da solidão, você tem um Verdadeiro Amigo, o Senhor Jesus, e no tempo certo os planos dEle são concretizados.

Não posso deixar de comentar ainda outra dificuldade. Todavia, antes de expô-la, há uma questão para ser respondida: Se você quer namorar, este namoro deve ter um propósito. Então, você pensa seriamente em se casar com a pessoa que quer namorar?

Se sua resposta for não, parece que você só quer usar a outra pessoa e depois deixá-la para buscar algo novo. Tenho certeza que o templo do Espírito Santo não pode ser um instrumento ou objeto para práticas imorais (1 Co 6.18-20; 3.16,17).

Se você respondeu positivamente, já parou pra pensar no futuro? Você pode ter a esperança de que ele seja salvo um dia, mas você não sabe se ele (ou ela) será. E, quem sabe, nunca seja: você viverá toda a sua vida ao lado de alguém que aborrece a Palavra que você tanto ama!

Observe algumas situações:
  • Vamos dizer que você vai à igreja 3 ou 4 vezes na semana. Então seu companheiro fala: “você está indo demais à igreja e me deixando de lado. Escolha entre mim e a igreja”.
  • Você diz: “vamos orar”. Ele diz: “vamos assistir TV”.
  • Você diz: “vamos ler a Bíblia”. Ele diz: “a Bíblia é muito chata, vamos ler Harry Potter”.
  • Você diz: “eu desejo santidade”. Ele diz: “Deus não quer que você se sacrifique, esses costumes são ultrapassados, você só precisa ser feliz”.
Muitas outras situações poderiam ser exemplificadas aqui, mas acredito que já foi o suficiente para mostrar o que você poderá passar por toda a sua vida, ao lado de alguém que não tem um verdadeiro compromisso com Deus e sua Palavra.

Ainda posso acrescentar: o que foi apresentado acima não quer dizer: “se ele (ou ela) é crente, posso me casar”. Não! Para iniciar um relacionamento não veja apenas se ele (ou ela) vai à igreja ou se intitula cristão. Procure saber se a seguinte pergunta tem uma resposta satisfatória: Ele (Ela) tem o desejo de cada vez mais se parecer com Jesus Cristo?

Marco Antonio da Silva Filho

quinta-feira, 5 de abril de 2012

O Deus Trino

Definição: Há apenas um Deus, mas na unidade da Divindade, há três pessoas eternas e iguais entre si – Pai, Filho e Espírito Santo.

Trindade: Onde está na Bíblia?

A Palavra Trindade não se encontra na Bíblia. Trata-se de uma expressão teológica que surgiu no século II. Da mesma forma que a palavra adolescência não aparece na Bíblia, não quer dizer que não exista a fase de adolescência. Os planetas do nosso sistema solar já existiam mesmo antes de receberem seus nomes (Por exemplo: Júpiter, Urano, Saturno). Apesar da Palavra Trindade não estar na Bíblia, a doutrina da Trindade está, sim, na Bíblia.

Vamos analisar as Escrituras:

As Escrituras nos afirmam que há um só Deus:

Ouve, Israel, o SENHOR nosso Deus é o único SENHOR (Dt 6.4)

Entretanto, na Bíblia nós vemos a presença de três pessoas na Divindade: Pai, Filho e Espírito Santo.

Podemos ver a Doutrina da Trindade no Antigo Testamento:

Elohim: Esta Palavra hebraica é encontrada no Antigo Testamento para se referir ao único Deus, porém é uma palavra que está no plural. Vemos nela a pluralidade na unidade.

Individualmente:

O Pai: Mas tu és nosso Pai, ainda que Abraão não nos conhece, e Israel não nos reconhece; tu, ó SENHOR, és nosso Pai; nosso Redentor desde a antiguidade é o teu nome (Is 63.16)

O Filho: Eu, porém, ungi o meu Rei sobre o meu santo monte de Sião.
Proclamarei o decreto: o SENHOR me disse: Tu és meu Filho, eu hoje te gerei. (Sl 2.6,7)

O Espírito Santo: O Espírito do Senhor DEUS está sobre mim; porque o SENHOR me ungiu, para pregar boas novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos presos (Is 61.1)

Pluralidade de pessoas:

E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança (Gn 1.26)

Depois disto ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? (Is 6.8)

Podemos ver a pluralidade de pessoas no Novo Testamento:

No batismo de Jesus:

E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre ele. E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo (Mt 3.16,17)

Jesus prometendo o Consolador:

Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito (Jo 14.26)

Benção apostólica:

A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo seja com todos vós. (2 Co 13.14)

Não podemos compreender isso totalmente. E não poderia ser diferente, já que estamos tentando entender Aquele que é “de grande poder; o seu entendimento é infinito” (Sl 147.5. Porque, quem conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo (1 Co 2.16)

O que podemos saber é aquilo que o Senhor nos revelou em sua Santa Palavra.

Por se tratar de algo tão complicado, muitos já tiveram dificuldade em expor esta doutrina bíblica e chegaram a ensinar algumas doutrinas anti-bíblicas. Podemos citar pelo menos dois erros:

1º Erro: São três deuses

A Trindade não diz respeito a três deuses, mas um Deus que subsiste em três Pessoas:

Eu sou o SENHOR, e não há outro; fora de mim não há Deus; eu te cingirei, ainda que tu não me conheças; Para que se saiba desde o nascente do sol, e desde o poente, que fora de mim não há outro; eu sou o SENHOR, e não há outro Isaías 45:5-6

Não terás outros deuses diante de mim 
Êxodo 20:3

2º Erro: Há um só Deus, mas também só há uma Pessoa

Um certo bispo chamado Sabelio pregava que Existia um só Deus, mas não fazia a distinção entre as três pessoas da Divindade, dizendo que seriam apenas três aspectos ou três manifestações de Deus.

Porém, a Igreja pôde se proteger deste erro, definindo a verdadeira doutrina, podemos encontrá-la no chamado Credo de Atanásio:

"Adoramos um Deus em trindade, e trindade em unidade. Não confundimos as Pessoas, nem separamos a substância. Pois a pessoa do Pai é uma, a do Filho outra, e a do Espírito Santo, outra. Mas no Pai, no Filho e no Espírito Santo há uma divindade, glória igual e majestade co-eterna. Tal qual é o Pai, o mesmo são o Filho e o Espírito Santo. O Pai é incriado, o Filho incriado, o Espírito incriado. O Pai é imensurável, o Filho é imensurável, o Espírito Santo é imensurável. O Pai é eterno, o Filho é eterno, o Espírito Santo é eterno. E, não obstante, não há três eternos, mas sim um eterno. Da mesma forma não há três (seres) incriados, nem três imensuráveis, mas um incriado e um imensurável. Da mesma maneira o Pai é onipotente. No entanto, não há três seres onipotentes, mas sim um Onipotente. Assim o Pai é Deus, o Filho é Deus, e o Espírito Santo é Deus. No entanto, não há três Deuses, mas um Deus. Assim o Pai é Senhor, o Filho é Senhor, e o Espírito Santo é Senhor. Todavia não há três Senhores, mas um Senhor. Assim como a veracidade cristã nos obriga a confessar cada Pessoa individualmente como sendo Deus e Senhor, assim também ficamos privados de dizer que haja três Deuses ou Senhores. O Pai não foi feito de coisa alguma nem criado, nem gerado. O Filho procede do Pai somente, não foi feito, nem criado, mas gerado. O Espírito Santo procede do Pai e do Filho, não foi feito, nem criado, nem gerado, mas procedente. Há, portanto, um Pai, três Pais; um Filho, não três Filhos; um Espírito Santo, não três Espíritos Santos. E nesta trindade não existe primeiro nem último; maior nem menor. Mas as três Pessoas co-eternas são iguais entre si mesmas; de sorte que por meio de todas, como acima foi dito, tanto a unidade na trindade como a trindade na unidade devem ser adoradas".

Onde encontramos, na Bíblia, que Cada uma das Pessoas da Trindade é Deus?

O Pai é Deus:
Eleitos segundo a presciência de Deus Pai (1 Pe 1.2)

O Filho é Deus:
No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus (Jo 1.1)

E sabemos que já o Filho de Deus é vindo, e nos deu entendimento para conhecermos o que é verdadeiro; e no que é verdadeiro estamos, isto é, em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna (1 Jo 5.20)

E Tomé respondeu, e disse-lhe: Senhor meu, e Deus meu! (João 20:28)

O Espírito Santo é Deus:
Não deixe ninguém dizer que o Espírito Santo é apenas uma energia ou uma força: O Espírito Santo é Deus!

"Espírito Santo possui inteligência, conhecendo todas as coisas até as profundezas de Deus — 1 Co 2.10;
Espírito Santo possui vontade própria, podendo distribuir dos seus dons a qualquer pessoa como Ele quer ou como lhe apraz — 1 Co 12.11;
Espírito Santo possui emoção, podendo ser entristecido — Ef 4.30"

Ainda mais:
Espírito Santo ama — Rm 15.30;
Espírito Santo testifica — Jo 15.26;
Espírito Santo fala — At 8.29; 10.19;
Espírito Santo ensina — Jo 14.26;
Espírito Santo é onipresente — Sl 139.7-12;
"E a todo aquele que disser uma palavra contra o Filho do Homem ser-lhe-á perdoada, mas ao que blasfemar contra o Espírito Santo não lhe será perdoado" (Lc 12.10);

O Espírito Santo é uma pessoa divina, sim, Ele é Deus:

Disse então Pedro: Ananias, por que encheu Satanás o teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo, e retivesses parte do preço da herdade? Guardando-a não ficava para ti? E, vendida, não estava em teu poder? Por que formaste este desígnio em teu coração? Não mentiste aos homens, mas a Deus (Atos 5.3,4)

A Doutrina da Trindade ilustrada:

Sabemos que a Doutrina da Trindade é de difícil compreensão para nossas finitas mentes, pois sabemos que o próprio Deus diz:

Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o SENHOR. Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos. (Isaías 55.8,9)

Entretanto, podemos melhorar nossa percepção daquilo que nós não podemos compreender totalmente:

  • A água é uma, mas esta também é conhecida sob três formas — água, gelo e vapor.
  • Há uma eletricidade, mas no bonde ela funciona sob a forma de movimento, luz e calor.
  • O sol é um, mas se manifesta como luz, calor e fogo.
  • Três velas num quarto darão uma só luz.
  • O triângulo tem três lados e três ângulos; tirai-lhe um lado e não é mais triângulo. Onde há três ângulos há um triângulo.
  • O homem é um, e, no entanto, tripartido, constituído de espírito, alma e corpo.
  • Nosso governo é um, mas é constituído de três poderes: legislativo, judiciário e executivo
  • O raio de luz realmente se compõe de três raios: primeiro, o actinico, que é invisível; segundo, o luminoso, que é visível; terceiro, o calorífero, que produz calor, o qual se sente mas não se vê. Onde há estes três, ali há luz; onde há luz, temos estes três. João o apóstolo, disse: "Deus é luz". Deus o Pai é invisível; ele se tomou visível em seu Filho, e opera no mundo por meio do Espírito, que é invisível, no entanto, é eficaz.
Marco Antonio da Silva Filho

O livro "Conhecendo as Doutrinas da Bíblia", de Myer Pearlman, me ajudou muito na elaboração desse estudo.

Totalmente novo!

Que mudança, hein?! O blog está bem diferente agora!

No dia 28 de março, este blog completou um ano e justamente em seu aniversário ficou fora do ar. Mas foi por um bom motivo: retornar com um novo design. O responsável por esta mudança tão radical foi meu irmão e amigo Flávio Inácio (Arca Design).

Faz tempo que eu não posto aqui... Estou postando, portanto, um estudo sobre a Trindade; que ministrei nesta segunda (02) aos novos convertidos.

Que Deus continue abençoando todos vocês!

Marco Antonio da Silva Filho
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...