domingo, 29 de janeiro de 2012

Não apenas servos (1)

Já vos não chamarei servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho feito conhecer (Jo 15.15)

Além de servirmos a Deus, devemos cultivar uma verdadeira amizade com Deus. Devemos conhecer a Deus. Para o apóstolo Paulo, isso vale mais do que tudo: "E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor" (Fp 3.8) Aliás, nós recebemos a vida eterna. O que ela significa? Jesus disse: "E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste" (Jo 17.3) — a vida eterna é conhecer a Deus.

Numa boa amizade há um bom diálogo

Através da oração, nós falamos; através da Bíblia, nós ouvimos. 

Na oração nós: agradecemos (Sl 138.1), confessamos (Sl 32.5), intercedemos (At 12.5), pedimos (Sl 50.15), louvamos (Sl 108.1-5), recebemos direção de Deus (At 13.2,3).

Através da Bíblia Sagrada, podemos conhecer a Deus e a sua vontade, pois a Bíblia é totalmente inspirada por Deus (2 Tm 3.16). Será que Jesus lia a Bíblia (Antigo Testamento)? Leia Isaías 61.1,2 e Lucas 4.16-19. E ouvir a voz de Deus tem consequências maravilhosas! A Palavra de Deus sempre irá nos separar do pecado e nos aproximar de Deus: "Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti" (Sl 119.11). "Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade" (Jo 17.17). 

O Salmo 19, nos versículos 7 e 8 mostra como as Escrituras são magníficas: "A Lei do Senhor é perfeita, e revigora todo o ser. As palavras que vêm do Senhor são dignas de confiança, e transformam os mais humildes em sábios. Os preceitos do Senhor são justos, e proporcionam alegria ao coração. Os mandamentos do Senhor são cristalinos e iluminam o entendimento" (Sl 19.7,8, KJA).

Nossa amizade com Deus também é uma relação entre Pai e filho

Quando recebemos a Cristo, nos tornamos filhos de Deus: "Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome" (Jo 1.12). Este Pai nos ama, com amor eterno nos ama (Jr 31.3). Por este mesmo motivo também nos corrige (Ap 3.19).

O filho se parece com o Pai. Como poderemos fazer isso? Imitando a Jesus, que é a "expressa imagem de sua pessoa" (Hb 1.3) Se nos parecermos cada vez mais com Jesus vamos ter uma grande e boa amizade com Deus.

Parte 2: Não apenas servos (2)

Marco Antonio da Silva Filho

Nenhum comentário:

Postar um comentário