sábado, 3 de dezembro de 2011

Lições Bíblicas Juvenis — Ioga: prática religiosa disfarçada

O disfarce da ioga

Geralmente, a ioga é apresentada como simples práticas de exercícios corporais que serão úteis para a melhoria do corpo e da mente. Contudo, veja o que os autores do livro "Manual Prático de Ioga" escreveram: "a ioga é tão diferente da ginástica ocidental como o fogo o é da água"; e ainda: "antes de tudo, a ioga não é mais do que uma ginástica, embora proponha exercícios. A ioga é, antes de qualquer coisa, um 'estado de espírito'".

A ioga tem sua origem na Índia, no hinduísmo. Portanto, sofre variações e possui várias modalidades, porém todas procuram uma solução para mente, corpo e espírito no próprio interior do praticante. Todas elas estão buscando cura e libertação em si mesmos, e não em Deus, o Todo-Poderoso. O cristão deve, então, permanecer longe dessa prática e buscar refúgio somente em Jesus Cristo.

O verdadeiro cristão foge!
A ioga, desde sua origem na Índia, está associada a poderes ocultos e mágicos. Mircea Eliade, autoridade em ioga, escreve: “Na Índia um iogue foi sempre tido como mahsiddha, um que possui poderes ocultos, um bruxo. Entre essas capacidades está o poder de alcançar qualquer objeto a qualquer distância, uma vontade irresistível, poder sobre os elementos e a realização de suas vontades”.

Cuidado! Não pode existir uma "ioga cristã" ou uma "ioga cristianizada", pois tanto a origem, quanto os princípios da ioga se chocam com a Palavra de Deus. Então fuja dessas práticas que não agradam a Deus, e não honram a Palavra dEle.

Os enganos da ioga
Os orientadores dos cursos de ioga, os iogues, apresentam meios de cura, alívio e descanso, seja para alma ou para o corpo, mas que não são verdadeiros. Será que todos não precisamos dessas coisas? O problema é que tais coisas não podem ser obtidas em nós mesmos, mas somente em Deus. Aqueles que estão desavisados acabam caindo nos ensinos dos iogues, que são contrários a Palavra de Deus:

O hinduísmo vê a ioga como uma coleção de métodos destinados para libertar a alma humana de tudo que é terreno com o auxílio de exercícios físicos, técnicas respiratórias e meditações. Esta libertação consiste em a alma do homem, seu ego real (atmã) ser idêntico ao espírito universal (Brama). Conclui-se que, na ioga indiana, a alma humana, em sua natureza e substância, é unida com o divino. A ioga afirma a deificação do homem. Na ioga, não há um Deus pessoal; o homem não é um ser criado à imagem de Deus e que é decaído. Na ioga o homem é o próprio Deus. Entretanto, nós sabemos que há somente um Deus, um Deus que criou todo o universo, e que não há outro semelhante a Ele: "Assim diz o SENHOR, Rei de Israel, e seu Redentor, o SENHOR dos Exércitos: Eu sou o primeiro, e eu sou o último, e fora de mim não há Deus" (Is 44.6).

Através de suas práticas, a ioga promete aos seus adeptos o alcance de seus objetivos: "alegria, harmonia completa e consciência absoluta; um estado de 'deus-consciência'". A ioga promove a auto-redenção: "Você pode se salvar, você pode se libertar, encontre a felicidade em si próprio!" Mas nós sabemos que nenhum ser humano pode salvar-se por seus próprios esforços. "Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie" (Ef 2.8,9). Somente Jesus Cristo pode salvar o homem: "E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos" (At 4.12).

Conforme a antiga doutrina do hinduísmo, a alma não purificada do homem, por conta de suas ações passadas (carma), é forçada a entrar em um novo ventre materno e nascer de novo. Apenas, dizem eles, quando a alma humana consegue, por si própria, purificar-se e atingir a libertação, fica livre de próximas reencarnações. A Bíblia ensina que "aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo" (Hb 9.27). Além disso, o ser humano só poderá ser verdadeiramente liberto de tudo o que desagrada a Deus quando conhecer a Jesus Cristo: "E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres" (Jo 8.32,36).

Veja um trecho do artigo da Revista Defesa da Fé (nº 37) sobre a ioga: "Sendo seres pecaminosos, jamais teremos poder para nos redimir por meio de exercícios físicos e mentais, através dos quais possamos elevar-nos mais e mais, a ponto de chegarmos à posição de 'homens-deuses'. Todo aquele que é da verdade sabe que não tem um bom 'ego real' aprisionado dentro de si; ao contrário, sabe que é, por natureza, um prisioneiro de seu pecado e de Satanás, e que precisa ser liberto de tal prisão. Nunca precisará descobrir seu 'ego divino' para que alcance redenção, porque já reconheceu seu próprio ego na verdade e verificou ser ele mau (Gn 8.21). Ele está ciente da realidade do pecado e da culpa, bem como de sua necessidade de um Salvador – e tem um Salvador em Jesus Cristo.

Na verdade, Jesus se fez homem e morreu na cruz por nós para nos redimir de nosso 'ego real', o ego decaído, que é a sede de todo mal, orgulho, egoísmo e de todas as inclinações pecaminosas. Através de seu sangue derramado, e de seu ato de redenção, ao exclamar 'Está consumado', Cristo derrotou o pecado e Satanás. Aquele que crê em sua redenção e entrega seu velho homem para ser crucificado com Cristo, levantar-se-á como um novo homem, um ser redimido. Somente Jesus, o Filho de Deus, tem o poder de realizar isso em nós. Um verdadeiro cristão move-se ao redor de Jesus e acha nele sua mais profunda realização. Jesus é tudo para ele. Vive com Jesus e o segue; sua meta única é estar com Ele para sempre em seu reino."

O verdadeiro alívio emocional está em Cristo
Quem possui a alma sem descanso e atribulada, aparentemente sem solução, não possui outra saída, não possui outro caminho a não ser Jesus, que disse: "Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim (Jo 14.6).

Quem quer descanso para sua alma só possui uma alternativa: aceitar o convite de Cristo:

"Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve" Mt 11.28-30).

Marco Antonio da Silva Filho


Também disponível no Portal ADALAGOAS
Referência:
Revista Defesa da Fé. Ano 5 - nº 37.

5 comentários:

  1. Como alguém consegue escrever tanta besteira junta de uma vez só? Fico assustado com o fanatismo doido dos evangélicos- Argh!

    ResponderExcluir
  2. Um cristão escreve sobre a origem e os princípios da Ioga; analisa-os conforme a Bíblia Sagrada e chega à conclusão de que Jesus é o único Caminho.

    Em seguida, pelos praticantes de Ioga, seu texto é considerado “um monte de besteira”.

    Não seria um fanatismo exagerado dos praticantes de Ioga?!

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Aline! Obrigado por comentar.

      Quem está certo? Bem, entre as diversas religiões existem bastante pontos em comum, em vários casos. Porém não é possível que todas estejam corretas.. Há muitas diferenças que não podem se conciliar.

      Além disso, para quem crê em Jesus, não é possível pensar que todas as religiões estão corretas.

      1. Dizer que todas as religiões levam a Deus, por incrivel que pareça, é fazer de Jesus um mentiroso. Jesus disse: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, senão por mim." Só Jesus é o caminho!

      2. Se pudéssemos ser salvos sem precisar de Jesus, Ele teria morrido em vão, não é mesmo? Mas não é bem assim. Veja alguns versículos das Escrituras:

      1 Pedro 1:18:
      Porque também Cristo morreu uma só vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; sendo, na verdade, morto na carne, mas vivificado no espírito;

      Gálatas 1:4:
      que se entregou voluntariamente pelos nossos pecados, a fim de nos resgatar deste atual e perverso sistema mundial, segundo a vontade de nosso Deus e Pai,

      2 Coríntios 5:21:
      Deus fez daquele que não tinha pecado algum a oferta por todos os nossos pecados, a fim de que nele nos tornássemos justiça de Deus.

      Desejo que todos encontrem a liberdade e a salvação que se encontra apenas em Jesus Cristo, o verdadeiro Deus, nosso Salvador!

      Excluir
    2. Acabei excluindo seu comentário sem querer. Mas ele foi o seguinte:

      "Realmente, o Yoga é uma prática espiritual, mas que usa de exercícios físicos em sua prática. Assim como você aceita Jesus Cristo, quantas pessoas aceitam Krishna ou Buda neste momento? Quem está certo? Todos. Assim como existe a bíblia, também existe o Alcorão e os Vedas. Mente aberta e coração tranquilo. Abraço!"

      Excluir