sábado, 6 de agosto de 2011

Lições Bíblicas Juvenis — Ajudando os necessitados

"Então, enquanto temos tempo, façamos o bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé." Gálatas 6.10

Os pobres nos tempos de Jesus
 

Os pobres existem desde a antiguidade. Jesus disse que "os pobres, sempre os tendes convosco" (Mt 26.11). Contudo também existiram aqueles que negligenciaram auxílio aos mais necessitados. Jesus contou que certo homem que se vestia de linho finíssimo e de púrpura (tecido caro usado pelos antigos como símbolo de riqueza e de alta posição social) permitia um mendigo ficasse em sua porta procurando alimentar-se das migalhas. Isso acontece porque o coração de muitos é movido por avareza e maldade (Mc 7.21,22).

Na parábola do bom samaritano (Lc 10.25-37), vemos que muitos líderes religiosos passam de largo quando veem os feridos e necessitados. "A justiça do sacerdote, que representa a suprema autoridade religiosa, e a do levita (que trabalhavam em parceria no templo a serviço de Deus) ainda que zelosos no cumprimento da Lei, omitem o verdadeiro "amor de Deus" (Lc 11.42) e passam "de largo" (pelo outro lado da estrada) para evitar um contato frontal com aquele ser humano (semelhante e próximo) mortalmente ferido.

Compaixão + ação
 

Não é só sentir compaixão, misericórdia e não fazer nada. Em 1 João está escrito: "Filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas de fato e de verdade." Não se pode ficar parado nem somente falando. Jesus, que é o nosso maior exemplo, possuía um bolsa com dinheiro para distribuir aos pobres. Paulo disse: "Por meio de todas as minhas realizações, tenho-vos mostrado que, mediante trabalho árduo, devemos cooperar com os necessitados, lembrando as palavras do próprio Senhor Jesus: 'É mais bem-aventurado dar do que receber'" (At 20.35, KJV).

Enquanto muitos não ajudam os pobres, outros até ajudam, mas com o objetivo de ganhar prestígio e honra diante dos homens (Mt 6.2). Jesus nos ensinou que devemos dar esmola com uma humildade verdadeira, porque a esmola que foi dada em oculto, será recompensada pelo Pai que, em secreto, viu.

Pregar a Palavra de Deus aos pobres, a melhor ajuda
 

O cristão deve ajudar ao próximo sem esquecer do mais importante: a pregação do evangelho. Através do evangelho o homem conhece a salvação na Pessoa de Jesus. Uma vida farta de bens na terra não irá salvar ninguém. Mas crer em Jesus Cristo, sim. O seguidor de Cristo leva as boas novas; as boas novas falam do reino de Deus, da salvação e do perdão de pecados por Jesus Cristo, o Salvador do mundo.

A pregação da Palavra deve ter prioridade
 

A verdadeira pregação da Palavra deve ter prioridade! Muitos estão espalhando falsos evangelhos como a falaciosa Teologia da Prosperidade dizendo, em resumo, que todos os crentes devem ser ricos, convencendo muitos: que engano! O cristão prioriza os tesouros no céu e não os tesouros terrestres. Mesmo que neste mundo passe por aflições, obterá consolo eternamente, do mesmo modo que o mendigo Lázaro.

O ser humano é salvo pela graça, mediante a fé; e isso não vem dele próprio, mas é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie (Ef 2.8,9). Ajudar os necessitados ou qualquer obra humana não pode salvá-lo. Entretanto, o cristão foi salvo para as boas obras (Ef 2.10). O crente faz boas obras, não para ser salvo, mas porque já é salvo.

Marco Antonio da Silva Filho


Disponível também no Portal ADALAGOAS
 
Referências:

Esequias Soares. Manual Básico de Missões e Evangelismo;

Buckland. Dicionário Bíblico Universal;

Novo Testamento com Salmos e Provérbios King James;

Dicionário da Bíblia de Almeida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário