segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Beijo de língua é pecado?


Beijo de língua: o beijo de língua (português brasileiro) ou linguado (português europeu) (também chamado de beijo francês em alguns países) é uma forma de beijo de forte conotação erótica, em que os parceiros fazem movimentos mútuos com a língua um do outro. Embora sejam comuns dentro da família os beijos nos lábios (popularmente conhecido como "selinho" ou "bate-chapas"), um beijo usando a língua quase sempre indica algum relacionamento de ordem romântica, podendo ter ou não compromisso - nesse último caso, diz-se popularmente que os parceiros são ficantes.

O beijo de língua estimula os lábios, a língua e a boca, que são áreas muito sensíveis ao tato, e de maneira geral as pessoas consideram algo muito prazeroso e altamente íntimo. É também bastante freqüente antes das relações sexuais e mesmo durante. Diferentemente de outras formas de beijo, o beijo de língua tende a ser prolongado, intenso e apaixonado.

Devido à intimidade associada, o beijo em público é considerado falta de educação em muitos lugares do mundo. Em lugares como Israel, o beijo de língua é culturalmente considerado indecente. No beijo de língua, os parceiros trocam saliva, o que em outras circunstâncias é considerado algo delicioso e nesse caso pode servir para aumentar a excitação. Embora a maior parte das doenças sexualmente transmissíveis não é transmitida através do beijo, é possível contrair algumas doenças por meio dessa prática, como é o caso da mononucleose infecciosa. A cada beijo, são transmitidas em torno de 250 mil bactérias. O dia do beijo de língua é comemorado aos 13 de abril. No beijo são movimentados 29 músculos da face. Estima-se que em toda vida as pessoas dão cerca de 24 mil beijos. Além de tudo isso um beijo de língua tem o poder de queimar até 12 calorias em 10 segundos.

A pergunta aqui é: se é pecado ou não, mas o correto seria: É CONVENIENTE para um cristão o beijo de língua? Creio que todos conheçam a diferença entre LICITUDE E CONVENIÊNCIA. Logo não trataremos disso. O segredo é usar o bom senso, você é solteiro, noivo ou casado? Qual a sua estrutura de fé, seu equilíbrio diante dos desejos naturais? Você é um experiente bombeiro e consegue dominar bem o fogo?! Mas saiba que para que haja a necessidade da brigada de incêndio é porque avaliou-se que existe um risco. E para existir o fogo foi necessário a presença dos elementos que podem gerar um princípio de incêndio (de grande ou pequenas proporções). Muitos por brincar com fogo ou por querer apagar o fogo se queimaram e até escondem as queimaduras, mas o cheiro de fumaça continua nas roupas. Em todo tempo sejam alvas as tuas vestes.

Leiam o texto completo — tudo de bom e use o bom senso.
Chegou o momento de tratarmos esse assunto dentro de um contexto Bíblico, utilizarei um pouco dos comentários apresentados. Quero lembrar que estamos falando única e exclusivamente de beijo de língua.

COMENTÁRIO “X”:
“Acredito que tudo exagerado é perigoso. É preciso que lembremos que somos crentes, mas acredito que não é pecado, desde que saibamos impor os limites”.

COMENTÁRIO “Y”
“O problema não é beijar e sim como isso é feito, qual a intenção, e até onde vai o beijo... Agora quando o beijo e dado com responsabilidade e com limites não tem problema nenhum na minha opinião.”

Não entendi, impor limites ao que? Ao beijo de língua? Como assim, deixar acontecer regulando a intensidade, a duração ou a reação conseguinte dos efeitos eróticos do ato do beijo de língua?

Vamos imaginar:
• Naturalmente o beijo de língua por si só é extremamente excitante (há um aquecimento natural, uma movimentação louca de hormônios);
• Os músculos da língua possuem características no corpo humano como um dos órgãos mais excitantes;
• No fastígio desse beijo há uma estimulação natural da libido;
• É um beijo de característica erótica e afogueada;
• O desejo de se tocar aumenta, a desconcentração quanto a responsabilidades nos atos diminui, pois surge o desejo desenfreado de sentir o outro de maneira mais ardente.

A pergunta a esse comentário é: como controlar o fogo próximo da pólvora? Ou: como apagar o fogo que iniciou? A melhor forma de impedir um incêndio é não deixar juntar os elementos necessários para um principio de incêndio, principalmente quando não sabemos dimensionar as conseqüências. Pergunto: você sabe? A melhor coisa é não iniciar, pois o exagero pode vir como consequência de um descuido. Quanto à por limites ao que naturalmente não podemos vencer, pois para o mesmo acontecer foi necessário alimentar é brincar com os desejos naturais de nossa natureza o que nem sempre traz coisa boa. Pois não é bom brincar com fogo achando que sempre estará no controle; mais cedo ou mais tarde haverá uma queimadura, apesar de que muitos têm procurado ocultar, mas o cheiro da fumaça o denuncia.

Tudo tem o seu tempo. A melhor coisa é esperar o tempo próprio. Uma pesquisa realizada pela atitude 434 mostrou que cerca 60% dos jovens solteiros evangélicos no Brasil possuem vida sexual ativa, ou seja, a cada 100 jovens na igreja 60 estão praticando fornicação. Impor limites é dever e não opção! Fugir da aparência do mal é Mandamento Bíblico e não dogma instituído por um grupo religioso ou fanático.

Quanto à questão da frase “O problema não é beijar e sim como isso é feito...”, respondendo a essa abordagem verifiquemos a explicação anterior, pois aqui é apresentando a seguinte sugestão: "tudo depende de aonde se quer chegar", ou seja, "o que desejo?", na verdade a opinião “Y” trata mais uma vez de controle, de impor limites, será mesmo isso eficaz para controlar meus instintos naturais de libido? Impor é resistir, é fazer resistência a algo a alguma coisa, é criar barreiras a algo ou a alguém. É como se eu chegasse para alguém e falasse:
"Podemos se beijar de língua imaginando a lua,
Pensando numa cachoeira,
Pensando em vários passarinhos ou pensando na vinda de Jesus, ou seja, tenho total domínio sobre a situação".

Quanta ignorância! Somos seres humanos dotados de desejos que, no seu tempo oportuno, é muito bom, mas fora de tempo poderão ocorrer coisas catastróficas, só isso. Estamos abordando um dos beijos mais excitantes e eróticos existentes dentro do relacionamento a dois. Lembremos: o sexo é abençoado por Deus e instituído por Deus para que homem e mulher usufruam exclusivamente dentro do matrimônio.

Mas o assunto aqui é beijo de língua, e não um simples beijo entre casais de namorados.
Vamos ler: “Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós” (Tiago 4.7).
Compare com o texto: “Fugi da prostituição. Todo pecado que o homem comete é fora do corpo; mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo” (1 Corintios 6.18). “Foge também das paixões da mocidade; e segue a justiça, a fé, o amor, e a paz com os que, com um coração puro, invocam o Senhor” (2 Timoteo 2.22).

Comparou? Que bom! Em matéria de carne o melhor é fugir, e não resistir, a Bíblia ordena resistir ao diabo e fugir das paixões da mocidade. O que tem ocorrido é que muitos ao invés de fugir, imaginam que imporão limites: "desde que não haja penetração, o resto é lucro", pensam.

O grande erro de muitos é achar que podem se dar ao luxo de resistir às paixões e/ou desejos, o que é um engano e contrário ao princípio Bíblico que nos instrui a fugir, e não impor limites ou resistir. “Como purificará o jovem o seu caminho? Observando-o de acordo com a tua Palavra” (Salmos 119.9). O segredo é viver conforme a Palavra — não adiantam especulações — avalie a história de José:  “Ele, porém, deixando as vestes nas mãos dela, saiu, fugindo para fora” (Gênesis 39.12).

Tem gente que gosta de correr o risco, de viver em aventura, pois é mais gostoso. Se o marinheiro soubesse como evitar a tempestade, ele faria de tudo para não correr o risco de passar por ela. Marinheiros cuidadosos não têm o desejo de ver quão perto da areia movediça podem navegar, nem de ver com que frequência podem tocar uma rocha sem que a água entre no barco. Seu alvo é se manter tão distante do perigo o quanto for possível e navegar no meio de um canal seguro. Hoje, talvez eu esteja exposto a grandes perigos. Preciso ter a sabedoria de uma serpente para manter-me distante deles e evitá-los. É verdade que eu posso ser um aparente perdedor ao rejeitar más companhias, más conselhos e concretização de desejos carnais, porém, é melhor deixar a capa do que perder o caráter (ver Gênesis 39.12).

Não é necessário que eu seja rico, mas é imperativo que eu seja puro. Nenhum laço de amizade ou correntes que me prendem ao engano da beleza, nenhum momento de talento carnal me afastará da sábia resolução de fugir do pecado. Tenho de resistir ao diabo; assim, ele fugirá de mim (ver Tiago 4.7). E tenho de fugir das concupiscências da carne, pois, do contrário, elas me vencerão.

Por que José venceu? Porque esteve pautado nos moldes da vontade de Deus (PALAVRA). Assim como para um sábio marinheiro o melhor é navegar pelo canal seguro, para o cristão o melhor é andar entre as pautas das Sagradas Escrituras. Resista o diabo, e ele fugirá de vós – Mas das paixões ou concupiscências da carne fuja; a não ser que você seja um robô. "Que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santificação e honra; Não na paixão da concupiscência, como os gentios, que não conhecem a Deus." (1 Tessalonicenses 4.4-5) Mortificai, pois, os vossos membros que estão sobre a terra: a prostituição, a impureza, o apetite desordenado, a vil concupiscência e a avareza, que é idolatria. (Colossenses 3.5)

Beijo de língua é bom, mas o tempo é para o período do casamento. Porém nem todos têm a mesma estrutura de fé. “Tens tu fé? Tem-na em ti mesmo diante de Deus. Bem-aventurado aquele que não se condena a si mesmo naquilo que aprova. Mas aquele que tem dúvidas, se come está condenado, porque não come por fé; e tudo o que não é de fé é pecado” (Rm 14.22,23). Quanto a casados, se achar que não deve, não faça; aos solteiros aconselho que espere para o tempo do casamento. Pois o prazer sexual Deus concedeu para ser usufruído no matrimônio. Por que escrevo assim? Comecei esse parágrafo falando que é bom, e se é bom, é prazeroso e excita logo ativa os mais profundos desejos dentro do âmbito sexual e tais sentimentos devem ser reservados para serem explodidos e/ou expostos ou ainda explorados no matrimônio. Então o melhor é esperar, fugir, não brincar, mas conserva-se puro.

Espere para o casamento. Se não conseguir é porque não tens domínio. Logo, falar em controle ou em por limites é demagogia. E se assim vivemos é por que somos humanos, logo padeceremos tais dores da mocidade; por isso o melhor é fugir. Entendeu?! Lemos no livro de Provérbios "Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade, corça de amores e gazela graciosa. Saciem-te os seus seios em todo o tempo; e embriaga-te sempre com as suas carícias." (Pv  5.18-19).

Vejamos:

Carinho: afago, cuidado, meigo. Na verdade há um conceito errado de carinho. Os namorados confundem carinho com carícias. No namoro deve haver muito carinho e pouca carícia. O tempo de namoro é do carinho, o do noivado é o do começo das carícias e o tempo de casados é das carícias preparando para o ato sexual. O carinho produz e desperta o amor. As carícias produzem erotismo e despertam o desejo sexual. O final de um carinho é um forte sentimento de amor, o final de uma carícia é o orgasmo, ou ato sexual ou ativação da concupiscência, a não ser que o individuo seja um ET. 

Dicas práticas de carinho: um meigo olhar, um afagar de cabelo, um presente, ser gentil e educado, um toque no queixo, brincar com o nariz, não só ficar de mãos dadas, mas fazer carinho nas mãos, elogiar, etc. O carinho cabe nas amizades, namoros, noivados e no casamento.

Carícia: apalpar, alisar, contato com a pele do corpo para fins sexuais. Segundo Dr. Fritz Kahn, acariciando-se a pele, principalmente em regiões erógenas como: seios, nádegas e órgãos sexuais, provoca-se uma excitação nervosa, como carga elétrica, que aumenta conforme os estímulos ritmados das carícias, até o ponto máximo do orgasmo (Nossa Vida Sexual). A carícia tem como objetivo principal preparar o corpo para o ato sexual. Depois que a pessoa está excitada ela não tem condições de agir pela razão, agindo assim pelos seus instintos. É difícil alguém interromper uma ação depois de estar excitado.

Beijo: a boca é a mais importante zona erógena depois dos órgãos sexuais. Ela tem quatro estímulos de excitação: táteis, térmicos, olfativos, gustativos. O beijo simples (no rosto, mãos, etc.) mostra afeto e carinho. O beijo bocal (prolongado nos lábios) mostra desejo forte. O beijo nos lábios é a carícia mais excitante antes do ato, aliás, é a preparação última para o ato sexual e durante. Se você ainda não é casado espere um pouco; e se aparecer alguma oportunidade, fuja, pois é melhor “perder a capa” do que a intimidade com o Espírito Santo. 

Princípio de plantar e colher

Faz-se os buracos com o polegar para se plantar sementes de ameixa.
"Nasceu um monte de ameixeiras!!! Mas por que? Eu odeio ameixas! Tinha esperança de que nascessem maçãs!... mas plantei ameixas." Quando se fala em uma semente, deve-se hoje mesmo imaginar a árvore e seus frutos: as consequências. Raciocine e seja prudente. Seja sábio!

PENSE NISSO E TIRE SUAS CONCLUSÕES.

6 comentários:

  1. Eu acho muito dificil um cristão acabar de participar de um beijo ardente , e ter ainda intimidade com Deus na oração. Parece que o espiritual esfria um pouco,quando deixamos a carne nos dominar.

    ResponderExcluir
  2. Amado irmão, gostei muito do seu post, e gostaria de pedir autorização para compartilhá-lo no meu blog para adolescentes, se você permitir. Darei os devidos créditos.
    Obrigada
    Que a graça e a paz de nosso Senhor Jesus Cristo, seja com você hoje e sempre!

    ResponderExcluir
  3. Pode sim, Ligiane. Fico até feliz em ver a Palavra de Deus sendo compartilhada. Só não esqueça de citar também o site de Adaías Marcos, que foi o autor (http://adaiasmarcos.blogspot.com.br/).

    Paz do Senhor!!

    ResponderExcluir
  4. oi gostei da mensagem e muito importante e ajuda muito a esclarecer as duvidas sobre o namoro que eu precisava saber mim ajudou e muito

    ResponderExcluir