sábado, 23 de julho de 2011

Lições Bíblicas Juvenis — É possível amar o inimigo?

"Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem" (Mt 5.44).

O significado da renúncia
 
Ao ser atingido, a reação do ser humano é a retaliação, dar o troco. A chamada lei de talião no Antigo Testamento — "olho por olho, dente por dente" — evitava vinganças injustas. Mas o Senhor Jesus nos mostrou que seus seguidores praticam a renúncia. Renunciar, segundo o Dicionário da Bíblia de Almeida, significa "deixar para trás"; "esquecer os interesses próprios". Realmente, quando alguém entrega sua vida a Jesus, ela é transformada e muitas coisas são deixadas para trás, incluindo o ódio e o sentimento de vingança contra o próximo.

Cristo ensina-nos que não devemos retribuir o mal com o mal: "não resistais ao homem perverso; mas, a qualquer que te ferir na face direita, volta-lhe também a outra" (Mt 5.39). Entre os judeus, na época de Jesus, bater na face direita de alguém, com as costas das mãos, era um insulto e uma provocação; não precisamente uma agressão. O insultado poderia revidar ou ir ao tribunal para que houvesse uma punição, em dinheiro, pela ofensa. Contudo o Senhor nos ensina a oferecer a outra face, para que haja paz e concórdia.

A importância da renúncia

Quando renunciamos, estamos seguindo o exemplo de Cristo: "Porque para isso fostes chamados, porquanto também Cristo padeceu por vós, deixando-vos exemplo, para que sigais as suas pisadas. Sendo injuriado, não injuriava, e quando padecia não ameaçava, mas entregava-se àquele que julga justamente" (1 Pe 2.21,23). Spurgeon disse: "temos de ser como a bigorna quando homens perversos são martelos".

Se alguém tiver queixa contra outro; assim como o Senhor vos perdoou, assim fazei vós também (Cl 3.13). O cristão pratica o amor e o perdão, pois o amor de Deus é derramado em seu coração pelo Espírito Santo (Rm 5.5).

E se alguém que lhe fez mal pedir-lhe alguma coisa...

Alguém pode estar devendo a você um pedido de desculpas, um pedido de perdão; alguém te feriu e as cicatrizes ficaram. Se este alguém precisa agora de sua ajuda, o que fazer? A vingança vale a pena? Max Lucado escreveu: "Imagine seu inimigo por um instante. Imagine-o amarrado a uma coluna para ser chicoteado. O homem de braços fortes que está com o chicote se vira para você e pergunta: 'Quantas chicotadas?' E você dá um numero. O chicote bate, o sangue se espalha e o castigo é infligido. Seu inimigo cai ao chão e você vai embora. Você está feliz agora? Sente-se melhor? Está em paz? Talvez por um tempo sim; mas logo outra lembrança virá à tona e outra chicotada será necessária. Quando tudo isso termina? Isso para quando você leva a serio as palavras de Jesus: 'Pois se perdoarem as ofensas um dos outros, o Pai celestial também lhes perdoará. Mas se não perdoarem uns aos outros, o Pai celestial não lhes perdoará as ofensas' (Mateus 6.14,15)". Portanto, meus irmãos, "Vede que ninguém dê a outrem mal por mal, mas segui sempre o bem, uns para com os outros, e para com todos" (1 Ts 5.15).

O amor sem preconceito

O amor que Deus nos concede (Rm 5.5) não faz distinção entre o jovem e o idoso, o homem e a mulher, nem age de modo preconceituoso, pois para com Deus não há acepção de pessoas (Rm 2.11; cf. Ef 6.9). Havia um certo preconceito entre os judeus e os publicanos, que eram cobradores de impostos a serviço do império romano. Eram odiados por, geralmente, agirem com desonestidade. Jesus mostrou que não deve haver preconceitos, amando os publicanos (Mt 9.9-12; Lc 19.1-10).

Em Mateus 5.44 lemos que o cristão deve 1) Amar os inimigos; 2) Bendizer os que o maldizem; 3) Fazer o bem aos que o odeiam; e 4) Orar pelos seus perseguidores.

Devemos ter paz com todos os homens

"Segui a paz com todos"(Hb 12.14) é o que a Bíblia nos exorta. Está escrito: "Não torneis a ninguém mal por mal; esforçai-vos por fazer o bem perante todos os homens; se possível, quanto depender de vós, tende paz com todos homens" (Rm 12.17,8). Ainda que muitos pratiquem o que é mau diante de Deus, "Amado, não imites o que é mau, senão o que é bom. Aquele que pratica o bem procede de Deus; aquele que pratica o mal jamais viu a Deus" (3 Jo 11).


Marco Antonio da Silva Filho


Referências:

Max Lucado. Dias melhores virão;

John R.W.Stott. Contracultura cristã — A mensagem do Sermão do Monte;


Dicionário da Bíblia de Almeida;


Novo Testamento com Salmos e Provérbios King James.



Também disponível no Portal ADALAGOAS

Nenhum comentário:

Postar um comentário