terça-feira, 28 de junho de 2011

Quem sou eu para julgar?

Jesus disse: "Não julgueis, para que não sejais julgados" (Mt 7.1). Quando disse isso, Cristo proibiu todo tipo de julgamento? Não! No mesmo capítulo, no versículo 15, as palavras de Jesus são: "Acautelai-vos dos falsos profetas". Para nos acautelar dos falsos profetas é necessário identificá-los. Para identificá-los, não é necessário exercer um julgamento?

Em Mateus 7.1, Jesus reprovou o julgamento calunioso, de acusações falsas ou, até mesmo, precipitado. Mas, nem todo tipo de julgamento é errado, pois, "o homem espiritual julga todas as coisas" (1 Co 2.15). Mas qual a base para um julgamento correto? A Palavra de Deus (2 Tm 3.16), que é infalível (Jo 10.35).

Na Bíblia Sagrada, podemos ver que nem todos julgamentos são considerados incorretos: "julgai todas as coisas, retende o que é bom (1 Ts 5.21). Paulo admitiu que suas palavras fossem julgadas (1 Co 10.15). Certa vez Jesus disse: "julgaste bem" (Lc 7.43). As profecias devem ser julgadas (1 Co 14.29).

O crente não pode abrir mão da verdade. A verdade deve ser dita e seguida, mas sempre com amor (Ef 4.15; 1 Co 13). Jesus Cristo é amor (1 Jo 4.8), mas também é a verdade (Jo 14.6). Falar a verdade não é ausência de amor. Paulo disse aos gálatas:" Tornei-me, porventura, vosso inimigo, por vos dizer a verdade?" (4.16).

Quem sou eu para julgar? Sou um discípulo de Cristo, que disse: "Não julgueis segundo a aparência, e sim pela reta justiça" (Jo 7.24). O verdadeiro cristão julga, examina, prova todas as coisas e retém o que é bom (1 Ts 5.21), porém, sempre baseado nas Escrituras Sagradas (At 17.11).

Marco Antonio da Silva Filho

Um comentário:

  1. Podemos julgar sim, segundo a reta justiça [Bíblia]. Paz meu querido.

    ResponderExcluir